Aplicações

Imageamento em baixa luminosidade

Imageamento em baixa luminosidade

O que é imageamento em baixa luminosidade?

O imageamento em baixa luminosidade em aplicações de microscopia de semicondutores é usado para detectar emissões fracas. Essa técnica também é chamada de microscopia de emissão de fótons ou imageamento por eletroluminescência. Em geral, eletroluminescência é a emissão de fótons decorrente de estímulos elétricos.

Para que o imageamento em baixa luminosidade é usado?

A microscopia de emissão de fótons normalmente é feita com câmeras SWIR. Na banda SWIR, é uma técnica comprovada para a localização de falhas em análises de falhas de componentes microeletrônicos.

Como localizar as falhas?

As falhas são localizadas usando várias técnicas diferentes para isolar as áreas defeituosas em uma matriz nas unidades com falha. Este é um passo muito importante na microeletrônica, pois reduz radicalmente a área necessária para análise. O defeito localizado é em seguida caracterizado com o objetivo de compreender melhor o mecanismo de falha.

O que causa a emissão de fótons?

A emissão de fótons pode ser causada pelos seguintes tipos de defeito no material semicondutor:

  1. Elétrons quentes ou buracos quentes
  2. Impurezas químicas
  3. Armadilhas de nível profundo
  4. Defeitos físicos

A emissão de fótons proveniente de defeitos geralmente está associada a junções P-N direta e reversamente polarizadas, transistores em saturação ou ruptura dielétrica.

 

Que recursos são necessários?

  • Alta sensibilidade
    Baixo nível de ruído e baixa corrente escura são essenciais para alcançar a melhor qualidade de imagem em condições de baixa luminosidade
  • Longo tempo de exposição
    Longos tempos de exposição (até várias horas) são necessários para a detecção de sinais de baixa luminosidade
  • Baixo ruído de leitura
    O baixo ruído de leitura resulta em alta sensibilidade para sinais de baixa luminosidade
  • Cooler TE (3 fases) ou refrigeração por nitrogênio líquido (LN2)
    Câmeras SWIR refrigeradas têm corrente escura mais baixa, alcançam níveis inferiores de ruído e têm faixa dinâmica mais elevada. Câmeras com refrigeração TE3 ou por LN2 estão disponíveis

Are you looking for more information? 

Let us know. We are happy to help.

Contact us

Documentos

Comunicados de imprensa
Xenics at Vision 2012: Cougar-640 SWIR camera is LN2-cooled for lowest noise and dark current We demonstrate the Cougar-640 LN2-cooled SWIR camera at Vision 2012. This camera is perfectly suited for extreme low-light-level applications (2012)
Notas de aplicação
Xeva-1.7-320-TE3 for low light level imaging The Xeva-1.7-320-TE3 camera can be used in a wide variety of applications. This application note goes deeper into detail on photon emission microscopy and photon emission analysis.
Semiconductor failure analysis using SWIR cameras Cooled, very sensitive detectors are critical for low-light-level measurements in spectroscopy, fluorescence imaging, and photon emission measurements, including semiconductor failure analysis.
SWIR cameras for timely defect detection ensure higher yields in solar cell production. SWIR cameras for timely defect detection ensure higher yields.
Electroluminescense analysis using SWIR cameras speeds up the development of solar cells Electroluminescence analysis accelerates thin-film solar cell development
Sensitive infrared InGaAs cameras detect weak electroluminescent radiation emitted by thin-film solar cells Electroluminescence analysis improves the quality of solar cells
Low-noise SWIR InGaAs camera accelerates Melanoma diagnosis Dutch researchers have used the Cougar-640 to develop a cutting-edge method to accelerate the diagnosis of melanoma

Thermal Imagers in mobile systems for Security & Safety Market

Ivica Mijić, Audio-Video Trend